24/09/2017

É tão bom sentir.


É tão bom sentir.
Sentir o vento que passa por mim nas tardes de domingo, trazendo consigo o cheiro do mar e os véus da natureza.
Sentir o sol queimando meu rosto, tão radiante e mostrando-me a beleza da vida.
Sentir o abraço de urso da amiga tão amável quando menos se espera.
Sentir sorrisos sinceros de desconhecidos pela rua e sorrisos de pessoas especiais a todo momento pertinho de mim.
Sentir o mar e a abundância do seu extraordinário infinito
Sentir poesias e cartas no qual meu semblante ilumina-se ao ler.
Sentir a lua em sua plenitude.

É tão bom sentir.
Sentir a vida, a paz, o furacão de emoções, a energia que há ao redor.
É tudo fonte de inspiração.
São escolhas juvenis, almas em metamorfose, aglomerado de borboletas.
Se faz necessário permitir, para que tais momentos sejam reais afinal,
É tão bom sentir.

23/09/2017

A Novidade - Gilberto Gil


A Novidade é uma canção de Gilberto Gil dos anos 80. A obra nasceu depois que Herbert Viana, do grupo Paralamas do Sucesso, ligou para Gil pedindo para que ele escrevesse uma música para fechar o álbum Selvagem, que protestava contra o governo da época. Naquele momento, Gil estava em Florianópolis e teve o mar como principal inspiração. Assim nasceu a visão de uma sereia sobre a desigualdade social…A letra nos faz refletir do quanto a desigualdade e as guerras fazem com que as pessoas deixem de contemplar e valorizar as coisas simples e bonitas da vida. E a sereia chegou para tentar nos fazer enxerga-las de novo. Segundo Gil, é a imagem da sereia que dá a partida para o tratamento da questão. O álbum protestava contra a situação do Brasil, porém A Novidade engloba o terceiro mundo, o mundo desigual no qual fala o refrão. Em 2012 o cantor performou sua canção junto com Caetano Veloso e Ivete Sangalo, dando um ritmo ainda mais arrepiante a essa poesia.


A novidade veio dar à praia
Na qualidade rara de sereia
Metade o busto
D’uma deusa Maia
Metade um grande
Rabo de baleia…
A novidade era o máximo
Do paradoxo
Estendido na areia
Alguns a desejar
Seus beijos de deusa
Outros a desejar
Seu rabo prá ceia..

Oh! Mundo tão desigual
Tudo é tão desigual
Ô Ô Ô Ô Ô Ô Ô!
Oh! De um lado esse carnaval
De outro a fome total
Ô Ô Ô Ô Ô Ô Ô Ô!…
E a novidade que seria um sonho 
O milagre risonho da sereia
Virava um pesadelo tão medonho
Ali naquela praia
Ali na areia…

A novidade era a guerra
Entre o feliz poeta
E o esfomeado
Estraçalhando
Uma sereia bonita
Despedaçando o sonho
Prá cada lado….

Oh! Mundo tão desigual
Tudo é tão desigual
Ô Ô Ô Ô Ô Ô Ô!
Oh! De um lado esse carnaval
De outro a fome total
Ô Ô Ô Ô Ô Ô Ô!…

Tigre tigre

Resultado de imagem para the tyger william blake
Tigre, tigre que flamejas
Nas florestas da noite.
Que mão que olho imortal
Se atreveu a plasmar tua terrível simetria?

Em que longínquo abismo, em que remotos céus
Ardeu o fogo de teus olhos?
Sobre que asas se atreveu a ascender?
Que mão teve a ousadia de capturá-lo?
Que espada, que astúcia foi capaz de urdir
As fibras do teu coração?

E quando teu coração começou a bater,
Que mão, que espantosos pés
Puderam arrancar-te da profunda caverna,
Para trazer-te aqui?
Que martelo te forjou ? Que cadeia?
Que bigorna te bateu ? Que poderosa mordaça
Pôde conter teus pavorosos terrores?

Quando os astros lançaram os seus dardos,
E regaram de lágrimas os céus,
Sorriu Ele ao ver sua criação?
Quem deu vida ao cordeiro também te criou?

Tigre, tigre, que flamejas
Nas florestas da noite.
Que mão, que olho imortal
Se atreveu a plasmar tua terrível simetria?

William Blake